terça-feira, 26 de julho de 2011

[Não basta amar apenas]

Texto de Artur da Távora

Aos que não casaram,
Aos que vão casar,
Aos que acabaram de casar,
Aos que pensam em se separar,
Aos que acabaram de se separar,
Aos que pensam em voltar...





Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja. O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus.
A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta. Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna.
Casaram. Te amo pra lá, te amo pra cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas. Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso.
É preciso que haja, antes de mais nada, respeito. Agressões zero.
Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência... Amor, só, não basta.
Não pode haver competição. Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura para acatar regras que não foram previamente combinadas.
Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades.
Tem que saber levar. Amar, só, é pouco.
Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas pra pagar.
Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar. Tem que ter um bom psiquiatra. Não adianta, apenas, amar. Entre casais que se unem visando à longevidade do matrimônio tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um.
Tem que haver confiança. Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou.
É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão. E que amar, "solamente", não basta.
Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor Pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado.
O amor é grande, mas não é dois. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm!

Um bom encontro aos que procuram!

E felicidades a todos nós!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Desejo


Desejo primeiramente que você ame 
E que amando, também seja amado 
E que se não for, seja breve em esquecer 
E esquecendo não guarde magoa 
Desejo pois, que não seja assim 
Mas se for, saiba ser sem se desesperar 

Desejo também que você tenha amigos 
Que mesmos maus e inconseqüentes 
Sejam corajosos e fieis 
E que pelo menos um deles você possa confia sem duvidar 
É porque a vida é assim 

Desejo que você tenha inimigos 
Nem muitos, nem poucos 
Mas na medida exata para que algumas vezes 
Você se interpele a respeito 
De suas próprias certezas 
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo 
Para que você não se sinta demasiado seguro 

Desejo depois que você seja útil 
Mas não insubstituível 
E que em maus momentos 
Quando não restar mais nada 
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé 

Desejo ainda que você seja tolerante 
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil 
Mas com os que erram muito e irremediavelmente 
E que fazendo bom uso dessa tolerância 
Você sirva de exemplo para os outros 

Desejo que você sendo jovem 
Não amadureça depressa demais 
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer 
E que sendo velho não se dedique ao desespero 
Porque cada idade tem seu prazer e sua dor 
E é preciso deixar que eles escorram entre nós 

Desejo por sinal que você seja triste 
Não o ano todo, mas apenas um dia 
mas que nesse dia descubra 
Que o riso diário é bom 
O riso habitual é insosso 
E o riso constante é insano 

Desejo que você descubra 
Com a máxima urgência 
Acima e despeito de tudo 
Que existem oprimido, injustiçados e infelizes 
E que estão a sua volta 

Desejo ainda que você afague um gato, alimente um cuco 
E ouça um João-de-barro, erguer triunfante o seu canto matinal 
Porque assim você se sentirá bem por nada 

Desejo também que você plante uma semente 
Por mais minúscula que seja 
E acompanhe seu crescimento 
Para que você saiba de quantas vidas é feita uma árvore 

Desejo outrossim, que você tenha dinheiro 
Porque é preciso ser prático 
E que pelo menos uma vez por ano 
Coloque um pouco dele na sua frente e diga “isso é meu” 
Só para que fique bem claro quem é dono de quem 

Desejo também que nenhum dos seus afetos morra 
Por ele e por você 
Mas que se morrer, você possa chorar 
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar 

Desejo por fim que você sendo um homem tenha uma boa mulher 
E sendo mulher, tenha um bom homem 
E que se amem hoje, amanhã e no dia seguinte 
E quando estiverem exaustos e sorridentes 
Ainda haja amor para recomeçar 
E se tudo isso acontecer 
Não tenho mais nada a te desejar.










.